Escola Gentil Bonato retorna às aulas após intervenção

Nesta segunda-feira, dia 19 de fevereiro, as atividades escolares serão retomadas na rede municipal de ensino. Dentre as escolas, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Gentil Bonato reiniciará suas atividades já sem a intervenção do município, que ocorreu no final do ano de 2017 após suspeita de irregularidades cometidas no ano de 2016, que envolviam desvio de merenda escolar.

A Secretaria da Educação anuncia que neste período inicial, a supervisora pedagógica da pasta, Clarinda Oliveira, atuará como diretora da escola, até que as eleições para escolha do novo corpo diretor ocorram no mês de março.

“A intervenção foi uma medida necessária para amenizar e resolver questões de relacionamento entre servidores, professores, gestores e o núcleo escolar, pois tais denúncias causaram instabilidade emocional e atritos entre membros da equipe e a comunidade em geral”, frisou a secretária da Educação do município, Gilça Silva.

Além de supervisionar as eleições de diretores, a secretaria irá instalar um programa de acompanhamento psicológico em grupo e individual, que irá auxiliar os profissionais até que os processos administrativo e civil sejam concluídos.

“Iremos disponibilizar esse apoio psicológico para que a comunidade, servidores, professores, alunos, entre outros, possam ter uma escuta sensível acerca deste assunto. Toda a comunidade que necessita deste espaço foi atingida de alguma maneira por esta situação, e assim pretendemos criar este canal para ajudar a superar o ocorrido”, finaliza a secretária.

Relembre o caso

Em setembro de 2017, após tomar conhecimento de irregularidades envolvendo desvio de merenda escolar no ano de 2016, a Secretaria da Educação levou o caso aos órgãos competentes para apuração dos fatos. Foi aberta uma sindicância administrativa e a própria polícia civil foi envolvida.

A abordagem do caso e o debate nas redes sociais gerou um desconforto entre pais, professores, e os alunos da escola, criando um clima hostil dentro do educandário.

Desta maneira, foi criada uma comissão de intervenção, cujos profissionais ficariam em turno integral na escola, para mediação do conflito, e em busca de uma solução. A intervenção durou desde o final de setembro de 2017 até o último dia do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *