Existe campanha majoritária humilde em Gramado?

Após a divulgação dos bens dos candidatos a prefeito e vice de Gramado, observei que todos eles possuem condições financeiras bem confortáveis. Nenhum deles pode dizer que se aproxima da maioria da população gramadense, no que diz respeito a posses. Falando no linguajar popular, não há um candidato pobre, todos são ricos.

O que chama a atenção é que durante a corrida eleitoral, a oposição alardeia que sua campanha é humilde, enquanto a da situação é abastada e rica. Será? Vamos aos números. Fedoca Bertolucci (PDT) declarou possuir um patrimônio avaliado em R$ 3.302.208,12  e seu vice, Evandro Moschem (PMDB) declarou R$ 850.954,09. Somando a fortuna dos dois dá um total de R$ 4.153.162,21

Do outro lado, Pedro Bertolucci (PP) declarou possuir R$ 2.063.380,87 e seu vice, Jorge Drumm (PSDB) R$ 2.503.973,75, o que dá um total de R$ 4.567.354,62. Portanto, a diferença entre as duas chapas, no que diz respeito a recursos financeiros dos candidatos, não é tao grande assim. As duas chapas possuem mais de R$ 4 milhões, cada uma.

Então não existe campanha pobre em Gramado. Nem oposição e nem situação podem dizer que são candidatos com campanhas de pouco dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *