Fedoca diz que Município perdeu a confiança na Associação São Miguel

O prefeito de Gramado, Fedoca Bertolucci, disse, durante reunião do Conselho Municipal de Saúde, com o presidente da Associação Beneficente São Miguel (ABSM), Rafael França, que a situação do Hospital é angustiante.

“Jamais contarei as misérias éticas que passei na condução desse processo de intervenção do Hospital. Estamos lidando com algo complicado e perigoso. As administrações hospitalares ultrapassaram o nível de risco. Existem gangues que circulam pelo país lesando municípios e estados”, disse o prefeito.

Segundo Fedoca, as negociações que mais tiveram frutos foram com a ABSM, contudo, a entidade perdeu a confiança do Poder Público. “Falei para o Doutor Rafael que a ABSM havia perdido a confiança do município. As coisas não estão bem resolvidas nessa Associação. O Doutor Rafael foi envolvido em uma série de manobras e isso fez com que perdêssemos a confiança nessa Associação e em seu presidente. O Doutor Rafael é uma boa pessoa, mas não posso deixar de revelar a ele coisas que ele sequer sabia, como nomeações, cassações de cargos, entre outros. Essa associação está em conflito. Por isso há essa ideia de o médico Rafael se reapresentar e se divorciar de pessoas que não estão bem intencionadas”, disse Fedoca.

O prefeito revelou que houve um grupo de São Paulo, associado ao ex-ministro Delfim Neto, que demonstrou interesse em comprar o Hospital Arcanjo São Miguel. “Eles tinham R$ 102 milhões para investir, mas queriam que retirássemos a cláusula de que o terreno do Hospital só poderia receber imóvel para fins de saúde. Eu disse que tudo bem, desde que construíssem um novo hospital em outro local. Nunca mais apareceram”, contou o prefeito.

Fedoca declarou que a demora da intervenção é bem menos letal do que entregar o Hospital para grupos aventureiros, que só querem a especulação imobiliária. “É razoável transferir o Hospital para outro local, mas não podemos entregar para o primeiro que aparecer com promessas cheias de dinheiro. A solução ideal não é a intervenção, mas não podemos nos livrar dessa moléstia morrendo pelos remédios. A única pessoa que apresentou uma proposta decente foi o Doutor Rafael e eu não sabia que ele presidia uma associação em conflito. Por isso pedi a ele que se reapresente, sem estar ligado a pessoas duvidosas. Entregar o Hospital significa que as exigências e condições da comunidade sejam prioridade”, concluiu o prefeito de Gramado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *