Manu Caliari questiona ABSM sobre presença de ex-interventor do Hospital como diretor técnico

A presidente da Câmara de Gramado, vereadora Manu Caliari, questionou o presidente da Associação Beneficente São Miguel (ABSM), Rafael França, sobre a presença do ex-interventor do Hospital, Jeferson Moschen, como diretor técnico da entidade.

Segundo Manu, Jeferson Moschen sempre apresentou números de que o Hospital era deficitário. “Como que uma pessoa que sempre disse que o Hospital dava prejuízo agora faz parte de uma associação que quer comprar o Hospital? E o senhor disse que o Hospital é viável e lucrativo, com boa gestão. Sempre pedimos transparência e que os números fossem mostrados para os vereadores, mas sempre nos foi negado”, questionou Manu.

Rafael França justificou a afirmação sobre a lucratividade do Hospital. “Quando disse que o Hospital é viável, me referi a área de oncologia, que é minha área. Essa especialidade é cara e sob o ponto de vista privado, a oncologia é rentável. Sob o SUS seria complicado do ponto de vista técnico. Mas do ponto de vista político pode ser analisado. A mastologia também é rentável. São vários serviços que podem ser agregados. Serviços próprios podem ser melhores do que a terceirização. Hoje o Hospital terceiriza tudo”, disse Rafael.

Sobre a presença de Jeferson Moschen, França afirmou que ele não faz parte da ABSM. “Acho que esse debate é positivo, pois encerra questionamentos que não fazem bem para a sociedade”, salientou Rafael França.

Apesar da negativa, o documento abaixo afirma que Moschem faz parte da Associação Beneficente São Miguel. O blog apurou que tal documento foi assinado sem o consentimento do médico Rafael França. O fato seria o motivo dos recados do prefeito Fedoca, sobre Rafael França se reapresentar sem vínculos com alguns indivíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *