Politica
05/09/2019 17:05

Não é novidade que está bastante acirrada a briga para definir quem será o candidato a vice-prefeito de Nestor Tissot em 2020. Nomes não faltam dentro dos Progressistas. Mas o vereador Luia Barbacovi, que já foi vice-prefeito duas vezes, é um dos pretendentes que não trabalha com a possibilidade de não ser o escolhido. O problema é que o nome dele é o que mais tem sofrido rejeição dentro do partido, pelo fato de já ter ocupado o cargo mais de uma vez e também pela idade.

Diante disso, Luia encontrou uma forma de forçar a barra do jogo político. Ele estaria articulando seu passe para o PSDB. O progressista tem sido visto constantemente no Hotel Fioreze Quero Quero, de propriedade do presidente dos tucanos de Gramado, Celso Fioreze. 

A proximidade de Celso e Luia não é novidade para ninguém. Segundo fontes tucanas, Celso já teria comentado com algumas lideranças a possibilidade de Luia retornar para o partido e ser indicado a vice de Nestor, numa possível coligação com os Progressistas. Entretanto, a ideia não foi bem vista pela maioria, que até aceitaria o retorno de Barbacovi, mas ele teria que entrar na fila e ser candidato a vereador. Ideia que é rejeitada por Luia. Afinal, ele quer sentar na janela logo de cara.

Como não caiu bem a possibilidade de Luia Barbacovi retornar ao ninho tucano para ser indicado como vice na coligação com o PP, via diretório municipal, o vereador estaria tentando outro caminho. Filiar-se através do diretório estadual do PSDB. Isso facilitaria para a ala municipal que comanda o partido e tem simpatia por Luia. Eles poderiam dizer que foi uma imposição do partido a nível estadual. Por sua vez, os tucanos condicionariam a coligação com os Progressistas, com a indicação de Luia como vice de Nestor.

O assunto estaria sendo tratado através de Moacir Cardoso, assessor do deputado federal, Lucas Redecker (PSDB). Uma liderança tucana municipal confirmou ao blog que a articulação é possível, uma vez que Luia e Celso são muito amigos de Moacir e Luia tem uma relação muito próxima com o deputado Redecker. 

Mas o que garante que os Progressistas vão aceitar tal imposição? É aí que está o pulo do gato. Fontes afirmam que a articulação estadual envolve tanto o PSDB como também o PP. O presidente dos Progressistas do RS, Celso Bernardi, estaria incluído na roda de negociações. Contudo, o presidente do PP de Gramado e pivô de tudo isso, Nestor Tissot, afirmou que desconhece tal informação e o envolvimento de Bernardi. Façam suas apostas!

Uma coisa é certa: não dá para dizer que Luia não é peleador!